Companhias de seguros anteveem aumento de preço nos seguros multirriscos

A frequência e a intensidade crescente com que os fenómenos da Natureza nos têm fustigado ultimamente, tem preocupado as seguradoras, que admitem estar a realizar estudos que poderão influenciar em alta o preço dos seguros que cobrem este tipo de riscos nalgumas zonas do País.

Companhias de seguros anteveem aumento de preço nos seguros multirriscos

Num encontro com jornalistas, Pedro Seixas Vale, o presidente da Associação Portuguesa de Seguradores (APS), revelou estes receios e a existência dos referidos estudos, que brevemente, no próximo mês, a APS irá apresentar, nomeadamente um estudo em particular sobre inundações, que analisa todo o território português e pretende aferir da probabilidade deste tipo de fenómenos ocorrer e da sua gravidade relativa.

Os resultados a que cheguemos, no que toca ao risco de inundações, devem mostrar que há algumas zonas em que é preciso ter imenso cuidado porque, se não se tiver esse cuidado, podem ter danos muito elevados, quer para as pessoas, quer para as empresas.

Pedro Seixas Vale

Com este estudo, a APS pretende ter uma informação mais correta, para que seja estabelecido um preço mais justo de acordo com esse conhecimento.

Outro objetivo a que o estudo pretende dar cumprimento é o de informar mais capazmente os portugueses sobre os riscos que podem ter se fizerem construções em determinadas zonas.

As instalações junto às praias e aos rios são algumas das que têm sido mais afetadas nos últimos tempos em Portugal devido aos efeitos do mau tempo, pelo que os custos de fazer um seguro, por exemplo, para um bar de praia, deverão subir em breve.

Ainda segundo o presidente da APS, “quem tem um acidente de dez em dez anos não está disposto a pagar o mesmo que quem tem acidentes todos os anos”, pelo que fará sentido fazer uma distinção ao nível do preço dos seguros consoante o risco de ser necessário acioná-los.

Em janeiro do ano passado, as companhias de seguros assumiram custos na ordem dos 100 milhões de euros devido ao mau tempo. Já este ano, também em janeiro, devido aos estragos provocados pelo temporal que nos assolou, e de acordo com a informação existente, os prejuízos para o setor segurador atingiram 11.5 milhões de euros.

 

TOC e formadora em Contabilidade Financeira, Analitica e Fiscalidade. Colaboradora da Seguros Mais.

Deixe um comentário