Poupar no seguro automóvel, de saúde e dentário

Outubro 18, 2011
Comentários desligados

poupar nos segurosQuase todos os dias os portugueses em especial são acordados e adormecem ao som de novas medidas de austeridade que começam a fazê-los temer acordarem a cada dia, bem como os deixam sem sono e ansiosos pelo seu futuro mesmo que no curto-prazo.

Para grandes males, grandes medidas, e não podemos baixar os braços, daí que cada conta, cada gasto, cada saída de dinheiro, à luz dos tempos que vivemos, devem ser encarados numa perspectiva de optimização. Se para todos os nossos gastos, conseguirmos pagar menos pelo mesmo, estamos a conseguir um bom contributo para manter equilibrados os nossos orçamentos e conseguirmos aguentar o assalto que está a ser feito às nossas vidas.

Nesse sentido, aqui na Seguros-Mais decidimos redigir este texto, com o intuito de lhe dar indicações sobre alguma poupança que poderá fazer ao nível dos seguros e dos créditos que porventura já dispõe.

Seguro automóvel

Se tem carro, necessariamente terá que ter um seguro automóvel, pois este é obrigatório por lei. Poupar no seguro automóvel simplesmente não o tendo, não o contratando, ou deixando de o pagar, é algo que não lhe deverá passar pela cabeça.

Será pior a emenda que o soneto. Não só corre o risco de pagar o que pouparia da primeira vez que a PSP ou a GNR o interpelarem – paga a multa e passará a ter que pagar o seguro automóvel, e desta feita perdendo eventuais bónus por ausência de sinistralidade que pudesse ter – como, corre ainda o perigo maior de vir a ser culpado num qualquer acidente de trânsito e ter que responder pelos danos e indemnizações que este causar.

Imagine que atropela alguém e não tem seguro. Aí sim coloca o seu futuro em risco.

Pronto, então tenho mesmo que ter seguro automóvel. Contrato-o, pago-o e esqueço?
– Não.

seguro automóvelSe o facto de ter seguro de carro é inteiramente incontornável, uma vez que para além de obrigatório é mais que aconselhável contratar um seguro que responda pelos danos que possa causar a terceiros ao volante do seu veículo automóvel, mantê-lo na seguradora onde está neste momento, ou pelo menos ao preço que de momento lhe cobram, já não é recomendável, e terá nessa perspectiva a possibilidade de poupar alguns euros conforme lhe anunciamos acima.

Para começar, terá que decidir se pretende um seguro automóvel mínimo (chamemos-lhe assim), o que é obrigatório, que responde apenas pelos danos causados a terceiros, daí também ser conhecimento como seguro contra terceiros, ou então um seguro de danos próprios, que pode ser accionado para os danos no seu próprio veículo, bem como para os que possa ter a responsabilidade de causar a outrem.

Este último tipo de seguro é também conhecido como seguro contra todos, e como é facilmente perceptível é bem mais caro que o primeiro, e só aconselhável em termos financeiros se o veículo segurado for efectivamente quase novo, pois à medida que o carro se vai depreciando em função dos anos, o valor do veículo decresce significativamente e este seguro torna-se menos apelativo, principalmente se lhe estiver associada uma franquia, ou seja, se a seguradora só pagar acima de um determinado valor, ou duma determina percentagem de danos.

Em tempos de crise como os que vivemos deverá então interrogar-se se pretende continuar a pagar o seu seguro de danos próprios, ou se um seguro auto simples de responsabilidade civil será já o suficiente para a idade actual do seu veículo.

Qualquer que seja o seguro automóvel que disponha ou queira, vá então consultar a nossa Escolha Acertada em Seguro Automóvel, que mantemos permanentemente actualizada, e onde lhe damos conta das melhores oportunidades no seguro auto em cada momento.

Lembre-se que algum tempo perdido, e não será muito com certeza, a fazer algumas simulações, pode representar alguma poupança anual. Dinheiro que começa a faltar e que desta forma não sai do orçamento, ou dinheiro que pode ir para outras solicitações mais importantes e mais primárias das nossas vidas.

Se conseguir um valor mais baixo que aquele que paga agora (e com certeza vai consegui-lo, pois as tarifas do seguro automóvel felizmente têm descido graças à menor sinistralidade e à competição entre as seguradoras), não hesite, e mude de seguro.

Saiba que a sua companhia actual, aquela que lhe tem estado a cobrar um seguro mais caro, é obrigada a estornar-lhe o valor correspondente ao prazo não vencido do seu seguro automóvel.

Por outras palavras, se pagou o seguro auto para um ano inteiro e ainda só passaram 6 meses, ao contratar o seguro noutra companhia, essa nova seguradora trata de cessar o seu presente contrato e a seguradora onde tem o seu seguro do carro vai devolver-lhe (6 meses) metade do que pagou anualmente pelo seguro automóvel.

Vá então ver as melhores oportunidades em seguro automóvel, faça umas simulações e poupe.

Seguro de saúde

seguro de saúdeSe a motivação baixa, se a auto-estima diminui, se as contrariedades aumentam, se a ginástica para manter o orçamento em linha duplica, a nossa saúde pode ressentir-se, daí que a saúde seja um domínio onde mesmo em tempos de crise, não devemos facilitar.

As taxas moderadoras têm aumentado exponencialmente afastando-nos dos cuidados de saúde gratuitos e disponíveis para todos, e mesmo assim os cortes do Governo nesta área levam-nos a pensar que se o SNS serviço nacional de saúde já não é confiável nem fiável, ainda o vai ser menos nos próximos tempos.

Daí que ter um seguro de saúde não é um luxo e não é uma daquelas despesas em que podemos cortar.

Se já tem um seguro de saúde, interrogue-se se não estará a pagar demais por ele. Visite os sites de algumas redes de prestadores de cuidados de saúde privados presentes no nosso país e simule o seu caso e o do seu agregado familiar.

As transferências de seguros de saúde pressupõem que na nova seguradora já não terá que “levar” com os períodos de carência como se fossem seguros novos. Daí que sejam apenas ganhos o que conseguir poupar com a transferência.

Se ainda não tem um seguro de saúde, por absurdo que pareça nesta altura de crise, aconselhamo-lo a tratar de contratar um. Felizmente a concorrência já vai sendo grande, daí que estes seguros tenham vindo a tornar-se mais acessíveis.

Contratar um plano de saúde por alguns euros por mês pode sair-lhe mais barato que não o ter e ter que despender ou endividar-se numa grossa quantia para fazer aquela operação ou aquele tratamento que lhe bateram à porta nesta altura difícil.

A mesma verdade ainda é mais insofismável para os seguros dentários.

Seguro Dentário

Sai-lhe muito mais barato contratar um seguro dentário que ter que pagar cada uma das consultas que com alguma frequência possa fazer ao seu médico dentista.

São vários os planos de diferentes seguradoras que oferecem um seguro dentário por uma reduzida quantia mensal, complementada por um co-pagamento em jeito de taxa moderadora do SNS, a pagar quando realizamos algum tratamento dentário.

Deve estar a par do custo exorbitante de alguns cuidados de saúde oral. Se valoriza bastante a saúde dos seus dentes, a ponto de visitar o dentista com uma certa regularidade, vai ver que acaba poupando para toda a família ao contratar seguros dentários.

Faça algumas simulações de seguro, faça as contas e decida-se, a partir da página onde mantemos actualizada a nossa Escolha Acertada em Seguro Dentário.

Em próximos artigos “voltaremos à carga” dando-lhe sugestões de poupança noutros produtos de seguros e crédito.

Poupar no seguro automóvel, de saúde e dentário, 5.0 out of 5 based on 4 ratings

 

VN:F [1.9.22_1171]
Avaliação: 5.0/5 (4 votos)

Somos um portal/blog de notícias sobre seguros e produtos financeiros em geral, que conta com a colaboração de um pequeno grupo de mediadores de seguros, que por força de se manterem constantemente bem informados sobre a actividade seguradora, partilham essa informação com clientes e leitores.