Acidentes com veículos sem seguro processados mais depressa

Janeiro 10, 2011
Comentários desligados

Dezassete milhões de euros, foi quanto o Fundo de Garantia Automóvel teve que pagar em indemnizações a sinistrados vítima de acidentes envolvendo automóveis sem seguro, embora se tenha assistido a um decréscimo no número de tais acidentes na ordem dos quatro por cento.

Foram 4398 os processos aberto pelo Fundo de Garantia Automóvel só nos primeiros 10 meses de 2010. Valores que como referimos estão 3.8% abaixos dos registados em igual período do ano anterior.
Outra métrica animadora é o facto de terem aumentado em 31.9 por cento o número de processos concluídos, traduzindo segundo os responsáveis uma maior eficácia no processamento de tais pedidos.

Uma das consequências mais imediatas para os cidadãos que em algum momento tenham de recorrer aos serviços do Fundo de Garantia Automóvel está relacionada com o reforço das garantias quanto à rapidez de resolução dos seus processos.

Assim sendo, o tempo médio para uma decisão sobre a assumpção ou declinação de um sinistro pelo FGA é 27 dias úteis nos casos envolvendo apenas danos materiais.

No caso dos processos que envolvam danos corporais ou morte, o tempo médio estabelecido é de 42 dias seguidos.

Nos primeiros 10 meses do ano em curso, o FGA pagou um total de 17,15 milhões de euros de indemnizações às vítimas de acidente em que o responsável não possuía seguro ou era desconhecido. Estes dados apontam para uma redução de 12,8% relativamente ao valor registado no período homólogo.

Nos seguros de automóveis é importante recorrer aos simuladores de seguro com regularidade para manter o seguro automóvel mais barato, pois as seguradoras mudam de tarifa com muita frequência.

Recorde-se que não obstante o FGA pagar as indemnizações devidas às vítimas dos acidentes em que os responsáveis não possuíam seguro válido, esses mesmos responsáveis ficam obrigados a reembolsar, com juros, os montantes que o FGA despendeu.

 

Somos um portal/blog de notícias sobre seguros e produtos financeiros em geral, que conta com a colaboração de um pequeno grupo de mediadores de seguros, que por força de se manterem constantemente bem informados sobre a actividade seguradora, partilham essa informação com clientes e leitores.